4 razões para se vacinar contra a gripe

Vacina não causa gripe e protege até mesmo o coração; quanto mais frágil a saúde, maior a importância da imunização!

Diferente de um resfriado, gripe é uma doença séria. Todos deveriam, anualmente, tomar vacina contra a influenza para evitar que o vírus entre no corpo e faça estragos. Menores de cinco anos, grávidas e maiores de 60, no entanto, estão mais susceptíveis às consequências negativas da doença, que pode levar à pneumonia e até mesmo à morte. Quanto mais frágil o indivíduo, maior a importância de se vacinar.

1 – Vacina não causa gripe ou sintomas
Dizer que ao tomar a vacina há risco de contrair a gripe é um dos maiores mitos em torno da imunização. “A vacina é feita com vírus mortos e fracionados. É impossível uma pessoa tomar a vacina e ter gripe por causa dela”, diz Cunha. Ele explica, porém, que a imunidade total não é garantida – a grande maioria das vacinas não consegue oferecer eficácia acima de 90% – mas que, se a pessoa vier a contrair o vírus da gripe posteriormente em ambiente público, os sintomas serão muito menores e a vacina evitará complicações, como a pneumonia. Esses casos, no entanto, são raros.

Ele lembra também que a vacina é contra o vírus da influenza, mas que outros vírus que causam resfriado ainda estão soltos e circulando por aí. “Há o adenovírus, coronavírus, rinovírus, parainfluenza, entre outros, que podem causar sintomas menos graves que a gripe”.

2 – Protege mulheres grávidas, que deram à luz recentemente e bebês
A mulher grávida tem a imunidade diminuída durante os nove meses gestacionais, por isso a importância da vacinação. Depois que ela deu à luz, no entanto, a vacinação na mãe protege indiretamente o bebê, já que não é permitido vacinar crianças menores de seis meses. Como a mãe é a pessoa que tem mais contato com o bebê, protegê-la da gripe impede que o bebê também a contraia.

Segundo o diretor do departamento de pediatria da Santa Casa de São Paulo, Marco Aurélio Sáfadi, vacinar a grávida – sempre com recomendação médica – é importante por causa dos anticorpos que são passados da mãe para o bebê no último trimestre da gestação. Ele conta que essa proteção acaba durando por alguns meses depois do nascimento do bebê.

3 – Quando você contrai a gripe, continua espalhando o vírus até o término dos sintomas
Passar alguma doença infecciosa para colegas não é nada legal. Quando uma boa parte das pessoas está imunizada, acontece o que se chama de imunização de rebanho. Se uma pessoa pegar gripe, não conseguirá transmitir para os outros porque eles estão imunizados. Vacinar-se é uma forma de evitar o contágio e não ser responsável pela transmissão.

4 – O vírus da gripe pode infectar o coração
É o que se chama de miocardite viral. Em alguns casos, o vírus da gripe pode atacar o músculo cardíaco, causando uma inflamação. A consequência é um coração dilatado, com arritmias e dependendo de medicamentos que o ajudem trabalhar corretamente, explica o cardiologista do Hospital Beneficência Portuguesa, Fernando Alves.

Fonte: ogeriatra

Curta a nossa página no face:

http://www.facebook.com/pages/Faculdade-do-Saber/300331506651141

Cursos Profissionalizantes. Curso de Berçarista em Santos, curso de Excelência no Atendimento em Praia Grande, curso de Recreação em Santos, curso de Lactarista em Cubatão, curso de Copeira Hospitalar em Santos, curso de Copeira em Itanhaém, curso de Lactarista em Santos, curso de Contador de Histórias em Guarujá, curso de Cuidador de Idosos em Santos, curso de Inclusão Escolar em Santos, curso de Recepção Clínica Hospitalar em Santos, curso de Planos e Projetos Pedagógicos em Santos.

Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/fasabsantos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>